Concurso da Receita Federal – Pedido para 5 mil vagas em 2019 – Informações Mais Edital Verticalizada Saiba mais

O pedido anterior era 2.083 vagas, sendo 630 para Auditor-fiscal e 1.453 de Analista Tributário. Para a função de Assistente técnico administrativo, de nível médio, eram 904 vagas.

Mas a RECEITA FEDERAL tem novo pedido com 5 MIL VAGAS! O acréscimo foi mencionado em reunião decente entre membros do Ministério do Planejamento, da Receita Federal, e do Sindireceita. Houve um acréscimo de 1.547 vagas. Com isso, o total para Analista tributário passou a ser de 3 mil vagas, e o total para Auditor fiscal foi para 2 mil vagas.

Auditor possui ganho inicial de R$ 20.123,53,
Analista possui ganho inicial de R$ 11.639, 24.

É interessante ressaltar que, desde o concurso de 2009, a Receita Federal tem nomeado sempre uma quantidade superior ao número de vagas ofertadas em edital.

Em 2009, a Receita Federal, das 450 vagas inicialmente ofertadas, foram chamados mais 50%, de modo que o total de nomeados chegou perto de 700.

Em 2014, a Receita Federal, além dos 278 AFRFBs nomeados inicialmente, foram chamados mais 100%, ou seja, dobrou-se o número de vagas.

Somado a isso, tem-se o déficit expressivo de servidores no órgão. De acordo com o levantamento feito pelo Poder Executivo, a Receita Federal conta com nada menos que 19.789 cargos vagos.

Desse quantitativo, a maior carência é de Auditor Fiscal da Receita Federal, com 10.214 postos vagos. Já para Analista Tributário a carência chega a 9.575 vagas.

Vale lembrar que os vencimentos iniciais do Analista e de Auditor da Receita Federal, atualizados depois que a MP-765 que foi convertida em lei, são de R$11.132,21 e R$19.669,01, respectivamente.

Concurso da Receita Federal – Sobre os Cargos
AUDITOR FISCAL

Um Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil constitui, mediante lançamento, o crédito tributário e de contribuições; elabora e profere decisões ou delas participa em processo administrativo-fiscal, bem como em processos de consulta, restituição ou compensação de tributos e contribuições e de reconhecimento de benefícios fiscais; executa procedimentos de fiscalização, praticando os atos definidos na legislação específica, inclusive os relacionados com o controle aduaneiro, apreensão de mercadorias, livros, documentos, materiais, equipamentos e assemelhados; examina a contabilidade de sociedades empresariais, empresários, órgãos, entidades, fundos e demais contribuintes.

A jornada de trabalho é de 40 horas semanais.

Já as funções como vigilância em aeroportos e equipes de repreensão atuam em horários diferenciados de plantões: 24 horas de serviço com folga de 72, ou ainda, 12 horas trabalhadas com folgas de 36. Criaram-se recentemente projetos de home office, onde o auditor realiza sua função de maneira remota em casa. Embora o projeto esteja no início, acredita-se que possa ter expansão nos próximos meses.

O plano de carreira de um auditor fiscal, a partir de 2017, consiste de 9 níveis, sendo que é possível passar de um nível para o outro em apenas 12 meses, conseguindo chegar ao teto em 10 anos. Sem levar em conta os 3 anos probatórios.

ANALISTA TRIBUTÁRIO

As ações que competem ao Analista Tributário da Receita Federal do Brasil formam um rol de atividades importantes inerentes à função, como a análise de processos, de resultados e a previsão de arrecadação. Ele faz checagens documentais e participa da elaboração e testes de sistemas de informática que coordenam os trabalhos da Secretaria da Receita Federal. Pode atuar na área financeira, de recursos humanos e patrimônio, fazer atendimento ao público, inspecionar bagagens e desenvolver atividades administrativas de maneira geral, podendo integrar, ainda, a junta de processo disciplinar no âmbito administrativo.

ESTRUTURA DA RECEITA FEDERAL
Com a publicação da Portaria MF nº 430, de 9 de outubro de 2017, a partir de 1º de janeiro de 2018 (data em que entrarão em vigor os dispositivos relacionados às unidades descentralizadas) a Receita Federal passará a ter 117 Delegacias, 30 Alfândegas, 42 Inspetorias e 327 Agências.

Qual é a nota de corte do concurso da Receita Federal?
Assim como nos concursos de todas as áreas, a nota de corte varia bastante de um concurso para outro. Devemos levar em conta vários fatores como: dificuldade da prova, preparação dos candidatos… portanto não há como estimar com precisão.

Mas neste gráfico elaborado pelo Estratégia Concursos, podemos ver a nota do 1º colocado de cada concurso, além dos classificados nas posições 50, 150 , 250 e a nota de corte para ser aprovado dentro do grupo de excedentes:

Notas dos aprovados da Receita Federal

Fonte: Estratégia ConcursosPodemos ver que o concurso de 2012 foi aquele que apresentou menor nota de corte (65%), enquanto o de 2009 foi o que teve maior nota (81%). Por que isso aconteceu? Em 2012, a prova objetiva foi muito pesada, principalmente em algumas disciplinas, tendo muitos candidatos eliminados, pois no concurso Receita Federal cada uma das disciplinas exige uma nota mínima. Quem conseguiu fazer a nota mínima em todas as provas foi aprovado e nomeado! Já imaginou você lá?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba as vagas pelo Whatsapp